sábado, 25 de dezembro de 2010

Há um abraço para ti que te quero ofertar

Há um tempo do tempo
Que tenho para te dar

Há uma filhós que aloira
No seu suave fritar

Há uma réstia de esperança
Para uma vida de encantar

Há uma luz que nos prende
Para nesta época festejar

Há um amigo do peito
Que está connosco noutro lugar

Há a razão de um destino
Que procurámos alcançar

Há um sentido da vida
Que não queremos amordaçar

Há a fome que invade
E se tende a atiçar

Há um presente que espera
Pelo ávido desembrulhar

Há o sorriso da criança
Impossível de igualar

Há uma família compacta
Separada pelo processar

Há um abraço enorme
Que não conseguimos quantificar

Há uma estrela cadente
Que não pára de brilhar

Há um menino que nasce
Que veio ao mundo para nos salvar

Há tanta gente na Terra
Que não se consegue libertar

Há uma mente que pensa
A forma de elogiar

Há uma mão que cumprimenta
Não se querendo emocionar

Há um coração que saltita
Com a ânsia de poder amar

Há um amigo que espera
O momento de o abraçar

António MR Martins

2010.12.23 (Natal/2010)

Para todos os meus amigos

18 comentários:

José Manuel Brazão disse...

Agradeço o ter como Amigo!

Abraço do ZÉ

Humana disse...

Obrigada querido amigo, por este abraço!
Um beijo com muita amizade e desejo de Festas Felizes para si, familiares e amigos.

Ana Casanova

Manuela Fonseca Amaral disse...

Obrigada pelo teu abraço sempre tão caloroso e sincero, meu querido amigo!
Boas Festas com muita paz e amor no coração para a família Martins com toda a Amizade da amiga que aqui te deixa um beijo e um forte abraço!
Manuela Fonseca

Avozita disse...

Senti este abraço com a emoção da amizade.
Santo e feliz Natal para si, Luisa e restante família.
Beijinhos
Antonieta

Victor G. disse...

Caro Amigo, senti o profundo sentimento do poema, como senti o calor e a amizade do seu abraço que retribuo com votos de um Santo e Feliz Natal para todos vós.
Um forte abraço! ... e até sempre!
Victor G.

Anónimo disse...

Obrigada amigo.
Um abração do tamanho do mundo para quem tão simpática e generosamente se lembrou de mim.
Recebi este seu poema como um presente, daqueles que nos aquecem o coração.
Beijinhos e votos de um próximo ano mais venturoso que este que está prestes a deixar-nos.
Até breve...:)

Maria Fátima Gouveia

Betha M. Costa disse...

Apreciei muito poema-abraço, meu amigo!Fraterno abraço natalino!
=)*

Fátima Abreu disse...

Lindo poema de amizade, Antonio! Meus parabens pela linda inspiração, e aproveitando, te desejo um 2011 coberto de paz, saúde e alegrias, muitas!!!

Maria Inês Basto disse...

Muito obrigada pelo abraço poético, cheio de sentimento! Desejo-lhe um óptimo 2011!!

Um beijinho,

Maria Inês Basto.

Fly disse...

Abraço recebido e retribuído!
Porque a Amizade é intemporal, porque não há "longe nem distância" que lhe faça sombra!
Habitam em mim Tu e a Luisinha meu bom Amigo

Boas Festas!

Hugo Mendonça disse...

Este abraço está magnífico. E daqui segue um outro grande abraço :) Venham mais abraços desses. Hugo Mendonça

Luis Ferreira disse...

Um grande abraço para ti meu grande amigo António.

Venham mais...

Luis

Anónimo disse...

Obrigado pelo abraço
Eu o recebi com carinho
Acabei agora de o ler
Eu cá estou no meu cantinho
Tenho muita saudade
E muita falta de jeito
Para escrever o que sinto
Aqui dentro do meu peito.

Fica aqui o dezejo
Que entres com o pé direito
Um beijo para a familia
Estão aqui no meu peito.

António Assunção

www.palavrasdepoeta.blogspot.com disse...

caro amigo e poeta, António, é desse abraço cotidiano que sempre falo. recebio seu aqui (bebi-o) e retribuo.
Feliz Ano Novo, pra ti e seus próximos.

zésilveira

Anónimo disse...

Bom amigo António,

Votos de um Fantástico 2011!!!

Abraço.

antónio paiva

Tentativas Poemáticas disse...

Amigo
Um abração com desejos de tudo de bom para 2011. Muito obrigado pela partilha da amizade.
António

jorge vicente disse...

Milhões e milhões de abraços, amigo!

Paulo Tuba disse...

Interessantes dísticos oferecidos a amigos poetas que perfazem o itinerário luso na literatura atual. Lembro de você do luso-poemas, num momento de transição em que eu estava encerrando a atividade de postagem por lá - justamente quando você, caro António, começava a despontar no sitio. Pretendo vir mais vezes aqui. Um abraço desde Salvador e feliz 2011.

Paulo Tuba - Pseud. de Claudio Sousa (Godi) [Ex- administrador adjunto Luso-Poemas 2007-2008].