sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Carnaval


Afunda-se o destino num mar de desenganos
Riscam-se as palavras da pele e da alma
Turva-se o sorriso com os dentes apodrecidos
Masturbam-se os ideais nos bordéis da vida.

Invertem-se os caminhos no meio dos escombros
Arranca-se o sol por entre a terrível penumbra
Brinca-se ao Carnaval em cada novo Fevereiro
Sorrimos e sambamos como medo do outro dia!

E lá vai permanecendo em nós a triste sina
De fingirmos que acreditamos que isso é viver
De secarmos as lágrimas que teimam em correr.

Valerá a pena omitir a desilusão dessa farsa?
Ou vamos continuar a ver cada amanhecer
Dissolver-se no tempo que adultera o nosso crer?

Vóny Ferreira

2 comentários:

Elvira Bernardo disse...

Carnaval: lindo o poema mas, achas mesmo que a vida é uma farsa; uma mistura de coisas mais vezes más do que boas, que vamos engolindo e fingindo que não existem? Ou isto é a tua imaginação de poeta? Acho que sim, embora a vida nos pregue muitas partidas. Li agora três poemas teus que ainda não conhecia. Já viste que agora não faço mais nada a não ser ler e comentar os teus poemas, principalmente no facebook?
Aproveito para dizer que já sei; vi agora aqui, aonde adquirir os teus livros aqui em Lisboa. Tinha uma dúvida na mente em relação a isso; pois vi no site "Temas Originais" que poderia adquirir pelo endereço de e-mail que lá é mencionado, ou seja, por encomenda, e não queria adquirir estes livros dessa forma. Desculpa-me a ignorância; mas eu fiquei sem saber qual a melhor maneira de os adquirir. Vou ter as primeiras férias na segunda quinzena de Março e vou aproveitar para ler os teus e um outro, a "Fúria Divina" de José Rodrigues dos Santos. Bem, agora vou poisar em outro sítio, o blogue da minha prima... Só dá nos fins de semana... Beijinho.

VÓNY FERREIRA http://vonyfereeira.blogspot.com/ disse...

Fiquei sensibilizada por me ter descoberto no meio das suas preferências
Poeta António Martins.
Muito obrigada e um grande abraço
Vóny Ferreira