segunda-feira, 22 de outubro de 2012

DE FELIZ E DE LOUCO... O POETA TEM UM POUCO

 

Tão pouco me arrisquei para sentir
(Enquanto for de si simples sonhar,
Ao louco tem a lei brando julgar),
Portanto me atrevi só em sorrir...

Da arte quis a essência de ser só
Autora dos meus próprios sentimentos,
D'amar-te fiz a história dos momentos -
Embora de céus breves, ébrio pó.

Ainda assim, pupila da alegria
Serei, enquanto em versos me escrever
E d'alma me entregar à fantasia.

Ainda em mim cintila este querer
Sem lei, canto ou meças de estesia,
Só bálsamo em trégua de viver...

Teresa Teixeira

Poema ao qual foi atribuído o 1º. prémio no I Concurso de Poesia da Associação Cultural Draca, 2011, in livro "Da serena idade das coisas", página 13, edições Temas Originais, 2012 (O prémio foi a edição de um livro, este ora referido).

1 comentário:

TT disse...

Agradeço o destaque e o carinho. O que mais me prestigia, sempre, é saber-me rodeada de gente maior que eu... obrigada, António.