quarta-feira, 7 de março de 2012

Poema CX


Dizer catorze versos ao acaso,
falar de ti, de mim, falar de nós.
De nós, que nos cantamos num abraço
e que nos abraçamos com a voz.

Que vou dizer de ti, eu, que te amo
e isso é ter-te em mim, como se eu fosse
cada um dos momentos em que chamo
por Deus que me criou quando te trouxe.

Ó meu amor, que vou dizer-te agora
quando nada me chega para o canto
que de ti se alimenta e me devora?

Cantar-te, estando lúcido, é estar louco.
Não sei que mais dizer-te nesta hora,
pois dizer que te amo é muito pouco.


Joaquim Pessoa

in O POUCO É PARA ONTEM, Litexa Editora, 2008

1 comentário:

Natalia Nuno disse...

Encantada com espe poema e com este Poeta que não conhecia.

Quem dera lidar assim com as palavras!

Abraço a este amigo.

nantalia nuno