segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

CEGAR OU VER


não vou se cego o que faço
se ilumino permaneço:
recosto no teu regaço
e de vez em quando esqueço.
de qualquer modo faleço
no corpo do teu traço:
caído assim no teu laço,
passo os dias no meu terço.
se cego não ganho espaço
se ilumino é o começo.

José Félix

2 comentários:

Antologia Escritas disse...

Companheiro

Fico grato pelo benefício.


Abraço

José Félix

Natalia Nuno disse...

Mais um Poeta que li com muito gosto e que também não conhecia.
Excelente!

Deixo meu abraço.

natalia nuno