quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Montserrat Villar González






Não é

A obscenidade não é
essa Lolita que, descarada, chupa no dedo
diante de um avô moribundo
que gastou a sua magra pensão
a ver aquele absurdo grande jogo de futebol.

A soberba não é
essa senhora que renega o seu filho três vezes
quando reconhece numa caixa automática, dormindo
abraçado ao materno vestido de noiva,
enquanto levanta dinheiro para uma nova capa de arminho.

A loucura não é
lançar-se de uma ponte para o nada
enquanto o teu esposo, amante ou amigo
assassina a criança que nasceu do teu ventre
diante da sua “querida” menina, que ele, como filha, não ama.

A desídia não é
ver como te atiras [da ponte] e não tentas salvar-te
enquanto comento com os vizinhos
que a tua relação com o teu bonito marido
era das mais cruentas.

O pecado não é
faltar à missa ao domingo
quando és um rapaz que fuma às escondidas
enquanto o sacerdote que te sodomiza
recorda aos fiéis os ensinamentos divinos.

Montserrat Villar González, in “ Terra Habitada” (título original: Tierra con Nosostros), tradução/versão portuguesa: Jorge Fragoso, página 40, Outubro, 2014.

1 comentário:

heretico disse...

poesia no fio da navalha...

abraço