quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Infinitos pensamentos

Passam pensamentos nas mentes
Que ninguém ousa inventar

Em algumas um tanto dolentes
Noutras ágeis de precipitar

Pensamentos bem maldosos
Resquícios de ódios e vinganças

Outros benfazejos e bondosos
Fortalecedores de uniões e alianças

A fertilidade da mente humana
É infinita no seu congeminar

Seja de índole bem urbana
Ou de ruralidade o seu pensar

Também as há bem doentes
Com múltiplas coisas para ultimar

Passam pensamentos nas mentes
Que ninguém consegue revelar


António MR Martins

Imagem in Brand X Fotografia - RF Royalty Free (pensando, orangotango), na net

1 comentário:

Águas turvas disse...

Adorei este seu poema!
Bjs.