quarta-feira, 19 de agosto de 2009

«« Néctar ««

Não, não perguntes se ainda te amo
Não se pergunta ao dia se quer o sol
À noite se quer a lua, à cama se quer lençol
Nessa cama em que por ti clamo
Assim como a folha precisa do ramo
Para balançar ao vento tal o rouxinol
Que canta uma melodia ao girassol
Que abre as pétalas onde derramo
A minha existência tentando colher
O amarelo aveludado das pétalas
Os matizes e a seiva que tento absorver
No néctar que busco em ti, em algumas
Poucas palavras, lágrimas brotadas
Sonhos suspensos, tantas curvas apertadas…

Antónia Ruivo "alentejana"

1 comentário:

celina vasques disse...

belissimo versejar!
meus apalausos pelo talento!
beijos meus!