terça-feira, 21 de agosto de 2012

Num outro lugar as balas por rosas...





Desceu da montanha a nuvem
de poeira
com cheiro a pólvora queimada

Abriram-se poços de silêncios
angustiados

No terror das balas perdidas
e nos gritos
de medo e dor,

a fome
a míngua
a lágrima
o pão mal repartido por mil bocas
famintas

Busca-se o amor
que aos poucos também se extingue…

Já não há flores nem auréolas
de luz…
apenas o dissabor de ver
extintas
místicas aspirações


Alvaro Giesta

in "há o silêncio em volta" (para breve), edições Vieira da Silva

2 comentários:

Alvaro Giesta disse...

Grato, amigo, pelo teu incansável apoio. nós, os poetas, sempre irmanados pelo mesmo sentir. abraço

António MR Martins disse...

Abraço, Alvaro. Tudo a correr bem.