quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Perde-se o homem, não o valor


Uma simples homenagem publicada neste blogue, no dia seguinte à sua morte. Já passaram quatro anos...

Até lá!... RAUL SOLNADO.


Perde-se o homem
Não o valor
Fica o autor
Por ele meu clamor.


Perde-se o homem
Não o valor
Fica o humanista
O poeta, o cantor.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica o companheiro
O sagaz apresentador.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica a sua razão
De simples sofredor.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica a sua imensidão
O sorriso libertador.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica o seu pundonor
O ser lutador.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica o belo azul
A sua grata cor.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica a sua criatividade…
O ser inventor.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica a recordação
Do seu bom humor.

Perde-se o homem
Não o valor
Fica-nos na alma
O seu eterno amor!...

 
A minha singela homenagem ao grande homem da cultura portuguesa, meu consócio azul de Belém, que deixou a vivência terrena a 8 de Agosto de 2009.

Até lá!

2009.08.09

António MR Martins