sábado, 10 de julho de 2010

[Salta poeta do verso]

Salta poeta do verso
Do verso deste poema
E vai pr’ós copos pr’á farra
Vai viver a tua vida

Deixa a poesia azia
Contrapeso de aspirina
Que a vida não é poeta
Mais que um verso por achar

E deixa pr’a quem quiser
Os requintes e as manobras
De quem procura a beleza
Bem fora desta vidinha


Xavier Zarco

1 comentário:

Manuela Fonseca Amaral disse...

Eu "amo" a poesia deste senhor!

Boa escolha, António!

Beijo de farra :)

Manuela