quinta-feira, 5 de abril de 2012

SÚPLICA À PRIMAVERA


Abre o manto Primavera
Sobre o chão que me viu nascer
Não negues ao meu coração que espera
as flores ver crescer...
Pede ao sol seu hálito ardente
Que alivie o pensamento sombrio
da sombra que sou
Me faça esquecer o tempo fugente
Que os céus ouçam o eco do meu grito vazio.
E me dê um pouco do brilho que a vida
me tirou.

Primavera que te hospedas no meu peito
Quando a oliveira já ostenta o candeio
Nas horas solitárias já sem jeito
Quando ainda aninho o amor no seio.
Estende-me os braços
Traz-me o calor do sol que fecunda a terra
Reconforta meu coração da tristeza que encerra.
Leva aos ausentes de quem lembro meus abraços.

Primavera faz sonhar quem vive
O pouco que tenho... é pouco é nada!
Traz-me a primavera que já tive
Antes que se renda o dia e eu cansada.
Volte eu a a relembrar e a pousar a vista,
esquecendo os dias de viver já gastos.
Aos anos que passam, não há quem resista!
Não voltarão os sonhos castos
que eram como uma benção ou alento,
e já se dissipam como água que corre.
Não sei se acredito ou se invento
Mas enquanto o coração não morre
sonhar será meu doce entendimento.


Natália Canais Nuno

3 comentários:

Natalia Nuno disse...

Queria deixar-te umas palavras de agradecimento, pois foi uma boa surpresa, mas dum amigo carinho é o que se espera... e palavras nâo diriam o que meu coração sentiu.

Não conhecia este teu espaço e estar entre tão bons Poetas que por aqui fui lendo é um grande orgulho.

Bem hajas
Um abraço

natalia nuno

António MR Martins disse...

Natália,

É sempre um prazer e para mim uma mais-valia para este espaço: - As suas palavras.

A partir de determinada altura passei a publicar um poema meu e um poema de outro autor.

Obrigado pelas palavras. Beijinho.

António MR Martins

Jessica Neves disse...

Natália seus poemas são espelhos de vivências, de saudades, me tocam... adoro beijinhos e boa páscoa