terça-feira, 10 de agosto de 2010

Evidente evidência

No rastro
Da evidência
Se aprova o infinito

Mesmo sem a saliência
Da revelação de um mito

Pela subsistência
Enraizada
Pela mente

Sem qualquer aversão
Ou por simples atrito

A evidência
Não se torna tanto

Alguém
Tem de engolir sapos
Dos vivos

Porém
No conhecimento
Das esferas do comando
Se resolve a questão

Sem qualquer opressão
Castigo
Ou prisão

O destino
Das próximas férias
É numa ilha do Pacífico

Aquele lugar mítico

Sem evidência
Ou saliência


António MR Martins

foto in http://www.apollo11.com/ (na net)

1 comentário:

maria.loures-popp disse...

"No rastro
Da evidência
Se aprova o infinito..." Deste poema tinha eu mesmo que gostar... É mesmo assim!