segunda-feira, 2 de agosto de 2010

A magia da fotografia, by Gonçalo Lobo Pinheiro (meu filho)

As imagens se detêm
No lugar da exposição
Em resplandecente sedução

Olhos meigos do fotógrafo
Num único momento
De empatia tão definida

Trabalhos que ali têm
Observadores em ebulição
Num vai vem de transição

Eis mais um parágrafo
Daqueles que saliento
No decorrer de sua vida

Resultados que provêm
Da perspicácia e da razão
Surgidos em cada ocasião

Como um simples autógrafo
Dado em cada evento
Sempre de forma sentida

O pulsar do encantamento
Por um disparo preciso
Resulta a qualquer momento
Num constante sorriso
Por vezes o provento
É conseguir o paraíso


António MR Martins

foto de Cândido Barbosa, by Gonçalo Lobo Pinheiro

1 comentário:

maria.loures-popp disse...

Independentemente da objectividade sente-se que foi escrito por um pai que ama um filho como todos os pais deviam de amar!